ESPECIALISTA EM ODONTOPEDIATRIA

RAYANE REGINA DOS SANTOS FermoCRO MT 5949

  • EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

    • Graduada pela Unic Tangará em 2012.
    • Especialista em Odontopediatria pela EAPE em 2014.
    • Curso de aperfeiçoamento em Ortodontia Preventiva pela EAPE - Cba em 2014.
    • Consultório Rayane 1
    • Consultório Rayane 2

    Odontopediatria

    Qual o papel do (a) Odontopediatra?


    O (a) Odontopediatra é o cirurgião-dentista com formação técnica e científica que o capacita para diagnosticar, prevenir, tratar e controlar os problemas de saúde bucal do bebê, da criança e do adolescente, em parceria com os pais/responsáveis de seus pacientes. Atua, também, na educação para a saúde bucal e na integração desses procedimentos com os dos outros profissionais da área da saúde.


    Neste sentido, as mais evidentes atribuições do Odontopediatra podem ser resumidamente enumeradas:


    • 1. Orientar e motivar pais e/ou responsáveis, quanto à promoção e manutenção da saúde bucal das crianças e dos adolescentes;
    • 2. Ajudar a criança e ao adolescente a desenvolver comportamentos e hábitos que conduzam à saúde bucal, conscientizando-os dessa responsabilidade.
    • 3. Avaliar o crescimento e o desenvolvimento, a fim de detectar possíveis desvios com repercussão nas estruturas dento-faciais.
    • 4. Identificar os fatores de risco, em nível individual, para as principais doenças da cavidade bucal, e implementar estratégias preventivas e de mínima intervenção.
    • 5. Reabilitar, morfológica e funcionalmente, o aparelho estomatognático lesado pelas doenças mais comuns que atingem a cavidade bucal da criança e do adolescente.
    • 6. Encaminhar o paciente para serviços adequados de especialidades odontológicas ou afins, sempre que as necessidades ultrapassem as limitações próprias da Odontopediatria.
    • 7. Integrar, quando as oportunidades se apresentem, as equipes de Odontologia em Saúde Coletiva, afim de contribuir para a promoção de saúde bucal das populações assistidas. *

    Qual a importância dos dentes de leite?


    Não há nada mais gratificante do que ver um lindo sorriso no rostinho de nossos filhos. E para que isto seja proporcionado, é fundamental que pais e responsáveis saibam da importância dos dentes de leite, também chamados dentes decíduos, no desenvolvimento da criança.
    Por serem temporários, esta importância pode ser negligenciada, o que pode causar grandes prejuízos à saúde.

    As principais funções dos dentes de leite são:


    • - Mastigar os alimentos, etapa importante para facilitar a digestão;
    • - Auxiliar no crescimento e desenvolvimento adequado dos ossos e músculos da face;
    • - Ajudar na pronúncia correta das palavras;
    • - Contribuir para a melhor aparência da criança, permitindo um belo sorriso, o que poderá influenciar sua autoestima;
    • - Guardar o espaço para os dentes permanentes que irão substituí-los no futuro, direcionando-os para que nasçam em posição adequada.

    Por isso, é imprescindível que os cuidados com a dentição sejam iniciados o mais precocemente, ou seja, a partir do irrompimento do primeiro dente, o que ocorre entre os 6 e os 8 meses de idade.


    Visitas periódicas ao dentista - quando começar e com que frequência levar seu filho (a)?


    A primeira consulta deve ser realizada durante o primeiro ano de vida, preferencialmente por volta dos 6 meses de idade, quando se encerra a licença gestante da mãe, levando-a a retomar ao seu trabalho. Assim, ela poderá receber orientações preventivas referentes às possíveis mudanças na frequência do aleitamento materno, uso de mamadeira, hábitos dietéticos e higienização bucal, antes do surgimento do primeiro dente de leite. A frequência das visitas ao dentista dependerá do risco que o paciente apresentar para desenvolver alguma doença, o que será determinado pelo profissional. No entanto, dos 12 aos 36 meses, o ideal é que haja consultas trimestrais para o acompanhamento do desenvolvimento da primeira dentição. No acompanhamento posterior, consultas semestrais são recomendadas para os pacientes controlados. **


    Flúor - a partir de qual idade utilizar?


    A partir do momento em que os dentes irrompem, eles já podem receber os benefícios do contato com o flúor, mas cabe ao Odontopediatra recomendar e definir a melhor maneira de utilizá-lo (momento para iniciar, tipo, frequência, etc). Os veículos mais comumente utilizados para a aplicação dos fluoretos nas superfícies dentais são os dentifrícios com flúor em casa, e em forma de gel, espuma ou verniz, estes três últimos utilizados apenas no consultório odontológico, pelo profissional. A Associação Brasileira de Odontopediatria não recomenda a suplementação de fluoretos, ou seja, a ingestão de medicamentos que o contenham. A recomendação de dentifrício fluoretado é restrita e definida pelo profissional, pelo fato de que crianças tendem a ingerir pasta dental, levando ao risco de intoxicação do organismo pelo fluoreto. Orientações devem ser recebidas quanto à quantidade de pasta dental a ser colocada na escova, que não deve exceder ao tamanho de um grão de arroz cru, a frequência de escovação e quem deverá fazer a limpeza. Procure as orientações com um (a) Odontopediatra. ***


    • *Toledo AO. Papel do Odontopediatra. In: Manual de referência para procedimentos clínicos em Odontopediatria/Associação Brasileira de Odontopediatria. 2009. cap.2. p.5-6. www.abodontopediatria.org.br
    • **Associação Brasileira de Odontopediatria. Manual de Referências para Procedimentos Clínicos em Odontopediatra. 2009.
    • ***1. Noronha JC, Myaki SI, Paiva SM. Utilização dos Fluoretos In: Associação Brasileira de Odontopediatria. Manual de Referências para Procedimentos Clínicos em Odontopediatra, 2009. p. 95-100. www.abodontopediatria.org.br
      2. Departamento de Atenção Básica. Secretaria de Atenção Básica. Ministério da Saúde. Caderno de Atenção Básica n°17, 92p. Brasília. 2006.
    Odontopediatria